Saúde ferrazense capacita 60 servidores sobre testes rápidos

Saúde ferrazense capacita 60 servidores sobre testes rápidos

A Vigilância Epidemiológica de Ferraz de Vasconcelos iniciou hoje, 10 de abril, uma capacitação para aproximadamente 60 profissionais da Saúde sobre testes rápidos de Hepatites B e C, Sífilis e HIV. A formação ocorrerá até sexta-feira, 12 de abril, na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Bela Vista.

Este tipo de capacitação é realizado todos os anos pela Secretaria Municipal de Saúde, mas desta vez, as orientações focam os dentistas da rede, única classe que ainda não havia sido formada no sentido de realizar o teste rápido nos pacientes.

“Também temos psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros e farmacêuticos participando do evento, mas o dentista é um dos profissionais que mais corre o risco de se cortar por exemplo, ou sofrer picada por agulhas, por isso é fundamental para a saúde dele e do paciente que este servidor saiba o que fazer em uma situação desta natureza”, destacou a coordenadora da Vigilância em Saúde de Ferraz, Karina Rente Isidoro, sobre o público que está participando dos estudos.

Ainda de acordo com a Saúde ferrazense, os dois primeiros dias de formação focam a teoria, que engloba o acolhimento, manuseio dos teste, opções de tratamento, encaminhamentos, medicação, etc. Já na sexta-feira, os servidores poderão aprender sobre a parte clínica e laboratorial, vivenciando a aplicação dos testes.

O prefeito José Carlos Fernandes Chacon, o Zé Biruta, considera de suma importância ações de capacitem os profissionais, principalmente quando estes são da Saúde. “Para nós conseguirmos atingir a excelência na saúde, precisamos de servidores capacitados, que estejam aptos à lidar com diversas situações em apenas um dia. Essa formação abordando os testes rápidos é muito importante, pois é um exame que a rede faz todos os dias e que pode salvar vidas”, ressalta o chefe do Executivo ferrazense.

Vale destacar que em Ferraz, os testes rápidos de Hepatites B e C, Sífilis e HIV são oferecidos em todas as UBSs e equipamentos de especialidades. Segundo Karina Rente, isso é importante para que qualquer infecção seja descoberta o quanto antes para facilitar no tratamento. “40 milhões de pessoas no mundo vivem com o HIV sem saberem, por exemplo, e acabam contaminando mais pessoas, disseminando o vírus. Os teste rápidos nos dão a possibilidade do diagnóstico precoce, abrindo um caminho ainda mais amplo para o tratamento adequado. Não podemos obrigar ninguém a fazer o teste, mas podemos sensibilizar, e é neste sentido que vamos continuar trabalhando”, conclui.

 

TEXTO: Leticia Riente – MTB: 87999 / SP

FOTOS:  Fernanda Moraes / DeCom Ferraz