Ferraz promove capacitação “O Brincar na Visão Docente”

Ferraz promove capacitação “O Brincar na Visão Docente”

A Secretaria de Educação de Ferraz de Vasconcelos capacitou nesta terça-feira (5 de setembro) 36 professores de arte da rede municipal de ensino. A formação teve como tema “O Brincar na Visão Docente”, com o objetivo de resgatar as brincadeiras tradicionais e repassar aos alunos que eles não precisam ser dependentes da tecnologia para se divertirem.

O encontro foi realizado no Centro de Integração e Cidadania (CIC), no Parque São Francisco, e teve à frente o coordenador de projetos da pasta, Reginaldo da Silva Oliveira, que discutiu com os docentes sobre o assunto, além de repassar técnicas de confecção de brinquedos com materiais recicláveis.

A ação desta semana faz parte de uma série de capacitações que têm ocorrido todos os meses com os professores de arte dos ensinos fundamental I e II de Ferraz. Em cada formação é debatido um tema e desde janeiro deste ano, quando o projeto teve início, já falou-se sobre folclore, circo na escola, africanidade, entre outros. De acordo com o coordenador Reginaldo Oliveira, os professores são capacitados e transmitem em suas unidades escolares o que foi aprendido, atingindo aproximadamente 12 mil alunos.

“O Brincar na Visão Docente” também visou trabalhos para o Dia das Crianças nas escolas e ainda para a Semana da Criança, que ocorrerá entre 9 e 11 de outubro, também no CIC, com a exposição de brinquedos confeccionados pelos alunos por meio das técnicas transmitidas pelos professores formados.

Sobre as capacitações, Reginaldo Oliveira afirma já ter dado bons resultados desde o começo e que a formação sobre o brincar veio também para acrescentar no currículo escolar. “Queremos introduzir brincadeiras como forma de aprendizagem nas escolas, desenvolvendo o lado cognitivo do aluno de acordo com a habilidade deles. O lúdico auxilia a criança a sentir-se mais confiante nas decisões para a formação do caráter individual, além de promover a interação com a comunidade escolar, mostrando outras alternativas de brincar que não dependam de sistemas informatizados”, explica Oliveira.

TEXTO: Leticia Riente
FOTOS: Secom Ferraz